sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Terra Santa: Monte das Oliveiras - Cenáculo - Abadia da Dormição - Muro das Lamentações - Igreja da Natividade- Campo dos Pastores

Terra Santa: Sétimo dia - 21/09/2012

1) MONTE DAS OLIVEIRAS


                                                        
Jardim do Getsêmani
Localizado na parte leste de Jerusalém, o Monte das Oliveiras é um dos locais mais citados na bíblia, seu nome veio das muitas Oliveiras que cobriam suas encostas.  Aos pés do Monte está o Jardim Getsêmani,  conhecido como o local onde Jesus e seus discípulos oraram na noite anterior a sua crucificação.

Durante os tempos bíblicos, o Monte das Oliveiras era coberto por oliveiras antigas, sendo uma montanha ao norte do Monte Sião com vistas deslumbrantes da,  Cidade Velha , da cidade de Davi e do Vale do Cédron.
Basílica de Todas as Nações

 Jesus passou a noite no local antes de ser preso, nos Jardins do Getsêmani. Foi nesse monte que Jesus chorou sobre Jerusalém. "Quando Jesus chegou perto de Jerusalém e viu a cidade, chorou com pena dela". (Lucas 19:41)
Logo abaixo do Monte das Oliveiras, próximo à Igreja de Todas as Nações, há um local onde a tradição cristã diz que foi o local em que Jesus rezou antes de ser preso.

Local que Jesus teria chorado na Basílica de Todas as Nações
 No sopé do Monte das Oliveiras há um antigo olival. As oliveiras não têm anéis, portanto sua idade não pode ser determinada com precisão, mas estudiosos estimam que elas possam ter entre mil e dois mil anos de idade.

A agonia de Jesus no Getsêmani foi tão profunda que "o seu suor tornou-se gotas de sangue a cair sobre a terra." Lucas 22:43-44) .

Cristo no Jardim Getsêmani, Heinrich Hofmann,1890


 2) CENÁCULO

Cenáculo, local da última ceia de Jesus e seus discípulos
 Antes da festa da Páscoa, sabendo Jesus que chegara a sua hora tinha chegado, a hora de passar deste mundo para o Pai, ele, que amara os Seus, que estavam no mundo, amou-os até o extremo .”(Jo 13, 1). Estas palavras solenes de São João, que soam familiarmente aos nossos ouvidos, introduzem-nos na intimidade do Cenáculo.

“Onde queres que vamos fazer os preparativos para comeres a Páscoa? “(Marcos 14,12), tinham perguntado os discípulos. “Ide à cidade, e sair-vos-á ao encontro um homem com um cântaro de água. Segui-o e dizei ao dono da casa onde entrar: «O Mestre manda dizer: Onde está a sala em que poderei comer a Páscoa com os meus discípulos?» Ele mostrar-vos-á uma grande sala no andar superior, já preparada e pronta. Fazei lá os preparativos.” (Marcos 14, 13-15).


 
 
Última Ceia, Leonardo da Vinci


 3) ABADIA DA DORMIÇÃO 



Igreja da Dormição

 Maria foi levada por Deus, em corpo e alma, para os Céus. Conhecemos poucos pormenores acerca dos últimos anos de Nossa Senhora na terra. Entre a Ascensão e o Pentecostes, a Sagrada Escritura situa-a no Cenáculo (cf. Act 1, 13-14); depois permaneceria junto a São João, pois foi confiada aos seus cuidados filiais (cf. Jn 19, 25-27). Mas a Escritura não registra o momento nem o ambiente em que se deu a Assunção. Segundo alguns testemunhos antiquíssimos, teria tido lugar em Jerusalém, segundo outros, de origem mais recente, em Éfeso.
Na Cidade Santa, duas igrejas conservam ainda hoje a memória destes mistérios: no monte Sião e no Getsémani.





Maria, Abadia da Dormição


A basílica da Dormição está localizada no Monte Sião que se encontra no extremo sudoeste da Cidade . Após passar por várias destruições e restauro ficou só em pé o Cenáculo. Contudo, nunca foi esquecido o vínculo da zona com a vida de Maria, de forma que em 1910, quando o imperador da Alemanha Guilherme II conseguiu uns terrenos em Sião, edificou-se uma abadia beneditina com uma basílica anexa dedicada à Dormição da Virgem.

Dormição (ícone)



4) MURO DAS LAMENTAÇÕES

Muro das Lamentações, lado esquerdo(homens) e direito(mulheres)
 



Último resquício do que foi o templo de Jerusalém(II Crônicas, 2) (I Reis 8,6)
O muro das lamentações é um dos locais mais sagrados para os Judeus, pois foi o que sobrou do Templo de Jerusalém. Não é uma parede do templo, é uma parede de contenção da base do Templo de Jerusalém.
E dividido em dois lados: o lado direito onde só as mulheres fazem suas orações e o lado esquerdo onde somente os homens podem orar.


Muro das Lamentações lado direito

 Antes de orar no muro das lamentações, os judeus tem o hábito de lavar as mãos, em sinal de respeito.
Todas as pessoas que visitam o muro das Lamentações costumam orar e deixar um pedido escrito em papeizinhos que são dobrados e colocados nas paredes, muitos caem no chão e permanecem ali.  Todos os dias os judeus recolhem esses papéis, guardam num local específico e uma vez por ano, eles são queimados ao lado do muro. Uma pequena parte das cinzas é espalhada pelo muro e o restante enterrado no Monte das Oliveiras.
 



Judeus no Muro das Lamentações - imagem de 1860

5) IGREJA DA NATIVIDADE



Basílica da Natividade, exterior.
Calcula-se que Belém tenha sido fundada pelos cananeus por volta do ano 3.000 antes de Cristo. A vida em Belém seguia tranquila até que:Por aqueles dias, saiu um édito da parte de César Augusto para ser recenseada toda a terra. Este recenseamento foi o primeiro que se fez, sendo Quirino governador da Síria.Todos iam recensear-se, cada qual à sua própria cidade. Também José, deixando a cidade de Nazaré, na Galileia, subiu até à Judeia, à cidade de David, chamada Belém, por ser da casa e linhagem de David, a fim de se recensear com Maria, sua esposa, que se encontrava grávida.(Lucas 2, 1-5)



Basílica da Natividade(interior)

Uns cento e cinquenta quilômetros separavam Nazaré de Belém. A viagem seria particularmente dura para Maria, no estado em que se encontrava.

As casas de Belém eram humildes e, como noutros lugares da Palestina, os vizinhos aproveitavam as cavernas naturais como armazéns e estábulos, ou então as escavavam na encosta. Jesus nasceu numa destas grutas:”E, quando eles ali se encontravam, completaram-se os dias de ela dar à luz e teve o seu filho primogênito, que envolveu em panos e recostou numa manjedoura, por não haver lugar para eles na hospedaria.”(Lucas 2, 6-7)



Moisacos nas paredes, época bizantina
O imperador Constantino mandou construir uma grande basílica sobre a gruta que Jesus nasceu: foi consagrada a 31 de Maio do ano 339.
Essa primeira basílica foi saqueada e destruída durante uma revolta dos samaritanos, no ano 529. Quando se restabeleceu a paz, Belém foi fortificada, e o imperador Justiniano mandou construir uma nova basílica, que foi edificada no mesmo lugar da primeira, mas com proporções maiores. É a que está atualmente no local,  tendo sido salva durante as diversas invasões em que foram destruídos os outros templos de época constantiniana ou bizantina. 

Entrada principal: 1:50 m de altura

Entra-se por uma porta tão diminuta que obriga a passar uma pessoa de cada vez, e mesmo assim com dificuldade: é preciso inclinar-se bastante. Na sua homilia durante a Santa Missa da Noite de Natal, Bento XVI referiu-se a este acesso ao templo: «Hoje”, quem entra na igreja da Natividade de Jesus em Belém dá-se conta de que o portal de outrora com cinco metros e meio de altura, por onde entravam no edifício os imperadores e os califas, foi em grande parte tapado, tendo ficado apenas uma entrada com metro e meio de altura. Provavelmente isso foi feito com a intenção de proteger melhor a igreja contra eventuais assaltos, mas sobretudo para evitar que se entrasse a cavalo na casa de Deus. Quem deseja entrar no lugar do nascimento de Jesus deve inclinar-se. Parece-me que nisto se encerra uma verdade mais profunda, pela qual nos queremos deixar tocar nesta noite santa: se quisermos encontrar Deus manifestado como menino, então devemos descer do cavalo da nossa razão «iluminada». Devemos depor as nossas falsas certezas, a nossa soberba intelectual, que nos impede de perceber a proximidade de Deus” 

Altar da Gruta



Mas o centro desta grande igreja é a Gruta da Natividade, que se encontra sob o presbitério: tem a forma de uma capela de reduzidas dimensões.


Estrela de prata, marca o lugar onde Jesus nasceu








Tem um altar e, por baixo deste, uma estrela de prata que assinala o lugar onde Cristo nasceu da Virgem Maria. Acompanha-a uma inscrição, que reza:
Hic de Virgine Maria Iesus Christus natus est.

      



  

Giotto,Cappella degli Scrovegni, Pádua,  Itália, 1305

 
Jornada dos Reis Magos, James Tissot, 1894

 Conta-se que os persas, que no ano 614 devastaram quase todas as igrejas e mosteiros da Palestina, respeitaram a basílica de Belém ao encontrar no seu interior um mosaico onde os Reis Magos estavam representados com trajes usados na sua terra. O templo saiu igualmente quase incólume da violenta incursão na Terra Santa do califa egípcio El Hakim, no ano 1009, bem como dos furiosos combates que se seguiram à chegada dos Cruzados em 1099.


6) CAMPO DOS PASTORES

 
Santuário Gloria in excelsis Deo


Onde o anjo do senhor anunciou aos pastores o nascimento Cristo. Lucas 2, 7-19

Belém e seus arredores ocupam um terreno suavemente ondulado. Em algumas colinas, está plantado de oliveiras; nos vales, as áreas mais planas estão divididas em campos agrícolas; e nas terras não cultivadas, onde aflora o estrato rochoso, cresce uma vegetação dispersa, tipicamente mediterrânica, formada por pinheiros, ciprestes e diversas espécies de arbustos.





Thomas Cole, O anjo aparecendo aos Pastores, 1833-34



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário estará sujeito a moderação, até que seja liberado.Obrigado.